• Google ícone social Places
  • Pinterest ícone social
  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social

KIKI & MILY l 11 3313-7673

8 lições que aprendi com meu filho

11.02.2020

 

Quando Rafael, meu filho, nasceu me senti a pior mãe do mundo. Em verdade, não conseguia me sentir mãe. Inchada, desfigurada, não reconhecia minhas feições ao me olhar no espelho. Insegurança, medo, frustração, ansiedade eram alguns sentimentos que permeavam meus dias. Os primeiros meses foram, talvez, os mais desesperadores da minha vida. Porque eu não sabia nada sobre criar um filho e tinha convicção de que precisava saber de tudo. 

  • Precisamos falar sobre saúde mental materna

Foi quando percebi que eu não precisava saber tudo sobre ser mãe, eu precisava apenas estar aberta a aprender que toda minha visão de mundo mudou. Somente quando me permiti ser aluna do meu filho pude exercer a maternidade de forma plena. É sobre o que aprendi com meu filho que quero falar com você. 

 

8 lições que aprendi com meu filho

 

1. Rafael me ensinou que o tempo é relativo. O dia sempre terá 24 horas, mas existem dias que parecem durar muito mais e outros que parecem durar tão pouco.

2. Aprendi que qualquer cansaço de uma noite mal dormida pode ser apagado com um olhar e um sorriso banguela.

3. Aprendi que amamentar pode ser a melhor coisa do mundo. E a mais difícil também. Que jamais estaremos totalmente preparadas para a explosão de sentimentos que nos invade quando não conseguimos nutrir corretamente nosso filho. Mas que com jeito, com coragem de pedir ajuda, inclusive para a criança, podemos resolver tudo.

4. Aprendi que paciência é a palavra chave para criar um filho. Porque insegurança e ansiedade são tudo que temos. E se puder aprender a ter paciência a vida fica mais leve.

5. Aprendi que aquilo que me irrita no meu filho é um problema meu e não dele. E Rafael me ensinou isso com todo amor do mundo, somente como uma criança é capaz de ensinar.

6. Aprendi a ser criança novamente. A brincar, sentir e pensar como uma criança.

7. Aprendi que, apesar de ter sido castigada, de ter apanhado na infância e hoje ser uma “boa pessoa” e amar meus pais, castigar e bater são as piores ferramentas que podemos usar como mães e pais na educação de uma criança. Aprendi isso na prática, após bater no meu filho e ele me mostrar que esse não era o caminho.

8. Sobretudo, aprendi que maternidade é muito mais do que amar. Maternidade é respeito pelo outro. Rafael me ensina todos os dias que a vida não é apenas sobre mim, é sobre o outro também. Maternidade é doação, é entrega, é paciência é gratidão. Aprendi que para ser mãe por inteiro é preciso saber perdoar e também pedir perdão. Somente quando perdoamos nossos pais pelas mágoas que carregamos é que nos libertamos para ser mães por inteiro.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload